DEBRIEFINGS

Debriefing de 19/09/2016

Saudações Jambocks!


  Hoje estou feliz por poder ligar os motores Rolls-Royce Merlin do Hawker Hurricane na campanha de Tobruk no deserto líbio.

 Na ocasião não pude contar com meus equipamentos de vôo, tal qual costumo equipar-me e voei totalmente pelo teclado.

Pilotos presentes:


Tenente Coronel: Jambock_Índio C1

Capitão: Jambock_Sentúa A4

Capitão: Jambock_Polaco D2

1° Tenente: Jambock_Magrim D3

Aspirante: Jambock_Carcará D5


  Nós pilotos Jambocks Sob o comando do XO Ten.Cel: Índio nos encontramos alocados nas imediações da cidade Portuária de Tobruk na Líbia, banhada pelo Mar Mediterrâneo.

 

  As equipes de solo armaram nossos Hawker Hurricanes com duas bombas de 500lbs nas asas, 3/4 do tanque com gasolina de aviação e o armazém de projéteis completamente carregados para alimentar os quatro canhões Hispano de 20mm dos ''furacões''. 

  Ao sermos acionados, Pegamos na mesa do telégrafo as ordens do Alto Comando e os respectivos mapas e prontamente decolamos na proa (180) da cidade de El Adem localizada ao sul de Tobruk, onde encontra-se instalada uma base canadense de apoio aliádo.

  Partimos com a missão de bombardear um grande comboio de blindados liderados pelo Afrikacorps de Hitler, que avançava pela estrada em direção a El Adem no sentido oposto, pois ja haviam dominado a King´s Cross (cruzamento da via Balbia).

  Voamos na ocasião em formação e à baixa altitude evitando os radares inimigos e nos concentrando nos alvos à serem neutralizados, sob a liderança do Ten.Cel índio, encontramos o grande e bem defendido conjunto de veículos alemães e italianos, iniciamos o ataque coordenado, mantendo grande precisão técnica e evitando a proximidade e consequentemente possíveis colisões de nossos caças, em meio às traçantes fomos fortemente contraatacados, após gastar todo o poderío bélico empregado na missão, logramos êxito em meio à poderosa resistência do 3° Heich.

  Em conjunto com os esquadrões FABPE, 199RAF, 422nd entre outros, os aliádos fizeram o 3° Heich sofrer inumeras baixas envolvendo as tropas no solo e pilotos da Luftwaffe e Régia Aeronáutica.

  Felizmente, concluímos a missão sem registrar nenhuma baixa e retornamos com visíveis avarías na fuzelagem de alguns Hurricanes, ambos em condições de retorno, retornamos vitoriósos, contendo o avanço alemão para o norte da Líbia, mas os combates não cessaram.

   A FAB está embarcando mais pilotos em direção aos fronts na Àsia, Europa e Inglaterra, para impedir o avanço dos nazistas sobre as nações aliádas!

Cpt: Jambock_Polaco
Jambock 1st Brazilian Squad=Jambock TH/FH na weB
Flying for the Allies, fighting for the Freedom.
Esquadrilha Verde P-47D D2
Senta a Pua!


Debriefing 12/09/2016Debriefing 12/09/2016

 Jambock Operacional na Líbia!! Senta a Pua!! Brasil!! Campanha Tobruk.


  O 1°/1° Grupo de Aviação de Caça Virtual Jambock realizou sua primeira missão em Tobruk.

  O Jambock_Carcará (D5) que já se encontrava em solo africano preparando as instalações do 1°/1° GavCaV Jambock Brasil, deu as boas-vindas aos pilotos Jambock_Sentua (A4) e Jambock_Murdoc (C3) recém-chegados a Tobruk. 

Pilotos presentes:

Capitão: Jambock_Sentúa A4

1° Tenente: Jambock_Murdoc C3

Aspirante: Jambock_Carcará D5


  Após apresentações, e com os pilotos já instalados, fomos conhecer o Hurricane disponibilizados pela RAF para o nosso esquadrão. Realizamos voos de treinamento para adaptação a aeronave e conhecimento das limitações do equipamento. 

  Depois sentamos junto com o comando para conhecer o atual cenário de guerra na região e decidir estratégias para conter a ofensiva alemã. Fomos informados da existência de duas colunas de blindados inimigos se deslocando em direção ao acampamento aliado localizado a oeste de Tobruk. 

  Recebemos então a missão de destruir estes blindados para impedir uma tentativa de ataque ao acampamento e conter o avanço das forças do eixo. Na manhã seguinte nos juntamos ao piloto Trajano pertencente a FABPE veterano na África, e decolamos para nossa missão. A esquadrilha formada pelos pilotos: Jambock_Sentua (A4), Jambock_Murdoc (C3), Jambock_Carcará (D5) e FABPE_Trajano, decola de Tobruk em busca do alvo a bordo de seus Hurricane estando o Carcará e Trajano carregados com foguetes e o Sentua e Murdoc na cobertura. Com muito sangue frio, passando por muitos momentos de tensão, cruzamos por vários combates entre pilotos da Luftwaffe e pilotos da RAF que batalhavam fervorosamente pela superioridade aérea. 

  Milagrosamente passávamos despercebidos por meio da confusão entre os caças e tiros de flaks, até que em determinado momento fomos percebidos. No entanto, contávamos com a excelente atuação e destreza do piloto Jambock_Sentua e Jambock_Murdoc provendo segurança enquanto Jambock_Carcará e FABPE_Trajano atacava o solo. Ilesos, retornamos a base realizando com êxito nossa missão destruindo os blindados alemães e defendendo acampamento.


  O 1°/1° GavCaV Jambock ainda aguarda a chegada de mais de seus pilotos para compor suas fileiras em Tobruk.


"Sentar a Pua: lançar-se contra o inimigo com decisão, golpe de vista e vontade de aniquilá-lo. Quem vai sentar a pua não tergiversa. Arremete de ferro em brasa e verruma o bruto ".
Austragésilo de Athayde


Campanha Tobruk IL2 1946 - Comunidade brasileira do IL2 -
Todas as segundas e quintas-feiras a partir das 22 horas
Realização Esquadrão FABPE :
http://fabpeforcaaereabrpe.wixsite.com/tobruk
Requisitos:
- IL2 1946 versão 4.12.2
- HSFX 7.0.3
- Jager Krieg Mod 4.0 ou Ultimate


Asp: Jambock_Carcará
Jambock 1st Brazilian Squad=Jambock TH/FH na weB
Flying for the Allies, fighting for the Freedom.
Esquadrilha Verde P-47D D5
Senta a Pua!

Debriefing 31/01/2016

Saudações Jambocks!

Depois de longo tempo de inatividade, por motivos diversos e alheios à nossa vontade, o Esquadrão Jambock TH voltou à ativa.

Fico feliz por voltar a ligar o joystick ao PC, carregar o trackir e o IL-2. Voltar a ver a interface do simulador, escolher a aeronave, arma-la e depois clicar e fly.

É mágico.

Transforma homens comuns em pilotos de combate de um tempo que não vivemos, mas ouvimos muito falar.

Manhã de Domingo, alvorada às 4 da manhã, saio da barraca e me deparo com um mar de lama, é no que se transformou nossa base após uma noite de chuvas torrenciais. Os Grumman F-4F de nosso Esquadrão vizinho estão atolados em lama, o que dá uma boa idéia de como é operar aeronaves no Sul do Pacífico. Mas nos foi dada uma missão e iremos cumpri-la.

Peço para armarem meu P-47D com duas bombas de 500lbs nas asas e uma de 1000lbs na fuselagem, meio tanque com gasolina de aviação e o armazém de projéteis completamente carregados para alimentar as oito .50" do Thunderbolt. Pego na mesa do telégrafo as ordens do Alto Comando e os respectivos mapas.

Dou partida no Pratt&Whittney R2800, acordo os quase 2.500Hp que fazem sacudir a poderosa estrutura do meu Jug. Inicio o taxi e em seguida decolo da base (F-14) pouco antes de do Sol nascer, aponto proa 060 rumo a F-12. Subo lentamente até a altitude de 3.000 pés e nivelo. Deixo a aeronave estabilizada no sistema automático de altitude, cuido de ajustar passo de hélice, flaps de arrefecimento do motor e dou uma checada no painel de intrumentos. Tudo OK.

O alvo é uma Base de porte pequeno, defendida por quatro posições de flack, sendo: #1 uma metralhadora de 12,5mm, #2 dois canhões de 25mm, #3 um canhão de 40mm e #4 dois canhões de 25mm. A mais perigosa e prioritária, e á peça de 40mm, deve ser atacada em altitudes abaixo de 300 pés, com rajadas de metralhadora. As demais devem ser atacadas da mesma forma, porém, a única que fica operacional abaixo de 300 pés é a maldita 40mm!

Ao chegar próximo ao alvo, desligo o piloto automático e inicio a descida. Desço com velocidade, procuro me aproximar de través, cortando a pista em um ângulo de 90º. A maldita começa a pipocar, mas não amoleço, mantenho-me firme na trejetória, velocidade aumentando, mas o Jug aguenta bem essa pressão.

Logrei êxito na missão, fechei F-12 e regressei à base rapidamente para trocar de aeronave.

Pegaria um C-47 com tropas para efetuar a captura.

A sequência de ações aconteceu ao longo do dia.

1. De F-14 para F-13 ataque e captura com êxito, contemplando a captura da base, P-47D

2. Do CV para F-29, ataque com F-4U; de F-18, ataque e captura com êxito, contemplando a captura de F-29, Spitfire MkVIII

3. De F-23 para F-9, ataque e captura com êxito, com P-47D. Nesta incursão pude contar com o Aspirante TTomaTT que mostrou grande coragem e determinação no ataque à flack inimiga.

4. De F-9 para F-8, ataque e captura com êxito, com P-47D. Nesta incursão pudemos contar com o Asp. TTomaTT e o 2ºTen. Murdoc. Fomos mortais, com força triplicada, a flack foi neutralizada rapidamente e a base fechada com incrível rapidez.

5. De F-9 para F-7 (F-3), ataque e captura com êxito, com P-47D. Atacar uma base de médio porte é sempre uma temeridade, principalmente pela quantidade de flacks defensivas com as temíveis 40 mm. Decolamos os três em formatura e aproamos para o ataque chegando a altitude de 3.000 pés. A prioridade são as peças de 40 mm, foram rapidamente neutralizadas, mas sofremos nossas primeiras baixas. Não obstante ao revés sofrido, tornamos a voltar ao ataque e logramos êxito em fecha-la! Nesse intervalo, nosso XO, o Ten. Cel. Indio se apresentou à ação, mas sofreu seguidas panes com seu equipamento, não logrando êxito em participar efetivamente da ação. Fiquei em CAP sobre F-7 enquanto Murdoc trazia o Dakota com as tropas escoltado pelo TTomaTT. Por uma lamentável falta de sorte, as peças de 40 mm voltaram a estar operacionais e acertaram mortalmente meu Jug antes que pudesse reagir

e me colocar na defensiva. Dei o alerta! O Asp. TTomaTT imediatamente pois-se em ação e atacou com determinação e extrema coragem as peças de artilharia inimigas e as destruiu, garantindo ao 2ºTen Murdoc um pouso seguro seguida da captura da base.


Maj.Brig: Jambock_Robtec
Jambock 1st Brazilian Squad=Jambock TH/FH na weB
Flying for the Allies, fighting for the Freedom.
Esquadrilha Vermelha P-47D A1
Senta a Pua!